sábado, 21 de março de 2009

Tudo bem, depois de uma das maiores fugas de tema que já fiz na minha vida em um blog (O Kirano que o diga). Eu retomo para o meu lugar atrás do balcão dando algumas dicas para vocês que pretendem ouvir meus conselhos (por mais inúteis que sejam) sobre esse nosso tão adorado hobby.

Agora no meu clima de música psicodélica resolvo trazer para vocês algo que é a parte que consideraria de mais vital importância no RPG, e isso é a interpretação!
"Oh, finalmente ele vai falar sobre algo que vai nos ajudar em alguma coisa!"
Sim, dessa vez eu vou falar sobre alguma coisa que pode vir a ser útil para vocês, e não, não tem nada a ver com como ficar rico em uma semana ou o segredo supremo da felicidade eterna, ou mesmo da vida eterna (sonho de muitos vilões que provavelmente também escutam o que digo).

"Tudo bem, mas como você vai me ajudar com a interpretação?"

Meu caro, mesmo tendo essa aparência eu não sou de todo inútil, e tenho tempo suficiente no RPG para poder lembrar de erros vitais na hora da sessão, e não estou me gabando pelo fato de jogar a muito tempo, já que eu mesmo as vezes costumo cometer alguns dos erros aqui descritos, e quem não comete erros afinal?

1 - Entre no seu personagem.

Depois de você ter lido as dicas anteriores sobre a criação de personagens chega a hora que é realmente divertida, a incorporação (e não estou falando como pai-de-santo) no personagem! Ah sim, como é bom você realmente se sentir fora do habitual enquanto é um Elfo Ranger, ou então uma das coisas bizarras a la Gnomo Bárbaro, mas então ocorre o principal erro dos jogadores, principalmente dos novatos, sair do personagem e agir como jogador.

Isso mesmo que vocês ouviram meus caros, o principal erro na hora de se jogar é isso. Se você é um ladino seria a coisa mais comum do mundo você se esconder enquanto o dragão ataca o resto dos seus "companheiros" de grupo. Afinal, você não faz parte do time de ataque e pode facilmente morrer durante uma simples baforada do monstro. Mas um Paladino já pensaria nisso diferente, afinal, você é um servo dos Deuses, e precisa combater o mal (ou o bem) a todo custo, se esconder é uma desonra!

Mas então digamos que o fato do jogador fazer um personagem muito diferente da sua personalidade e não estar acostumado com aquilo faz com que algumas mancadas aconteçam, como por exemplo, ficar para ajudar o resto do pessoal sendo um caótico, o que não é uma atitude normal desse gênero que pensa sempre em si mesmo. Por isso uma dica legal é anotar as principais características de personalidade do personagem e dar uma olhada enquanto interpreta para ver se não está fugindo muito do papel.

2 - Descrever cenas não vistas como importantes é preciso.

"Mas para quê vou descrever isso, eu simplesmente pego a chave e vai ser a mesma coisa!"

Ah, mas está aí que você se engana! O RPG é um jogo onde a interpretação é essencial, então você não vai simplesmente deixar algumas coisas passarem batido só por não serem vistas como importantes. Porque a diferença de uma ação crua para uma bem elaborada vai muito além dos pontos de experiência de bônus, ela vai melhorar até mesmo a sua interação com o personagem e também pode fazer aqueles momentos ditos insignificantes se tornarem momento até mesmo memoráveis.

3 - Lutar, um momento que vai além de rolagem de dados.

"Mas eu só vou cravar minha espada bastarda anciã que dá +25874065 de bônus nele e pronto!"

Tudo bem que muitas pessoas vêem a batalha, e até mesmo o RPG como apenas uma hora para rolar dados, e essa gafe até mesmo jogadores experientes com trocentos anos de jogo cometem. Minha gente, a luta é um dos momentos importantes para se ter uma boa interpretação! Afinal, há muita diferença em "Ataco ele com minha espada" e "O suor escorria pela minha testa e pingava um pouco pelo meu rosto, a adrenalina já agitava minha visão e meus reflexos respondiam extremamente rápidos, rapidamente eu aumentei a força com que segurava minha espada e então a usei para cortar o inimigo em um corte rápido e firme na altura da clavícula." É basicamente como diferenciar um desenho infantil com giz de cera de uma obra de arte.

4 - Até os erros podem ser interessantes. [Mestres]

"Eu fiz besteira, não precisa ser tão descritivo com minha mancada, mestre!"

Sim isso tem, seu personagem não tem um sucesso crítico em tudo que ele faz, então na hora de errar é sempre legal o mestre prestar atenção nisso, afinal se for pra tropeçar, tem que fazê-lo com dignidade! Afinal, você não erra o ataque simplesmente, tem que ter uma causa para isso, e se o mestre não a der fica um tanto quanto difícil a interpretação, porem não precisa ridicularizar o personagem nessa hora, o erro pode ser uma coisa complexa ou não, o seu inimigo pode apenas ter esquivado ou você pode ter tropeçado em algo no chão, isso varia de personagem, e alem de tudo procurar algo na história ou ficha do personagem pode ajudar nessa hora complementando na interpretação.

Bem, eu espero ter ajudado em algo, nem que seja pra você matar o tédio e depois de ter lido todo o artigo falar “Mas que droga, ele escreve muito mal e nenhuma dessas dicas eu jamais vou usar na minha vida.” Pense pelo lado positivo, ao menos agora pode usar seu tempo falando como eu sou um idiota! Bem, aqui está a cerveja e vamos beber em honra do dragão!
Obs. Bebam muito, pois estamos perdendo clientela para a taverna vizinha, então nos dêem mais lucro.

4 comentários:

Tifa Valentine disse...

Ora, ora, ora...
Gostei das dicas, muito boas e interessantes! ^^~
Em relação à última devo ainda acrescentar que a interpretação da falha também varia de acordo com a pontuação tirada no dado.
Uma falha de um 5 é diferente de uma falha crítica confirmada em 1.
Enquanto a falha em 5 o inimigo poderia se esquivar ou o jovem guerreiro pode ter tropeçado em algum corpo caído ao chão, a falha crítica confirmada em 1 pode ser interpretada por: "E enquanto o jovem guerreiro corria em fúria na direção de seu oponente, não percebe a pedra que havia em seu caminho, caindo ao chão e perdendo sua arma no processo. O dano tomado por seu personagem é de 1d4 ou 1d6 e você perderá uma ação pra se levantar... ^^~"
Adoro! XD

Tifa Valentine disse...

A melhor de todas que eu já ouvi até hoje foi quando meu irmão estava mestrando e o cara que foi nos atacar veio correndo e caiu, tomando um puta dano da PRÓPRIA ALABARDA!
Ele morreu... com a queda... XD
Foi lindo! ~~/o/

Yuji Meio-elfo disse...

A interpretação é mesmo mais difícil na hora do combate, pois os golpes podem se tornar repetitivos.
Descrevo meus ataques, mas não os detalho muito, que é pra ter descrições suficientes para o combate, hehe =P

Hidekee disse...

Texto legal XD

Acho que as falhas críticas as partes mais engraçadas do RPG HUAHUAHUHAUUAHUAUAHAHUHAHUA...

E essa de incorporar o personagem e no meio da partida agir como jogador é um erro muito comum mesmo u.uv

E tenho sugestão de tema para o próximo post (não necessariamente o próximo mesmo): interação entre mestre (narrador) e joagdor. Até onde o mestre pode falar "absurdos" sem ser contestado e por aí vai? xD